Jovens atores de O Palco têm dia de plateia em teatros da Zona Sul

WhatsApp Image 2018-07-04 at 10 ct

Acostumados a atuarem, os alunos de teatro do projeto O Palco, na Escola Estadual Plínio Negrão, zona sul de São Paulo, ocuparam as cadeiras da plateia na última semana. Uma vivência cultural promovida pelo professor Fernando Fersa levou os jovens para assistirem a dois espetáculos.

O primeiro evento foi a peça “A noiva de Cristal”, de direção de Marcio Azevedo, em cartaz no Sesc Santo Amaro. Os alunos compareceram em peso. Mais descontraídos pela quebra na rotina de aulas, eles precisaram de mais de uma fileira para acomodar tantos jovens atores.

Para o professor Fernando Fersa foi curioso notar um olhar mais crítico e que fugia ao senso comum, fruto das aulas com O Palco. “Hoje eles não ficam apenas na história, eles já ficam mais atentos na iluminação, na sonoplastia, no cenário, figurino, etc”, comentou o mestre orgulhoso. “Eles já gostaram muito”, concluiu.

As fileiras cheias de alunos do projeto O Palco se repetiram no Teatro Leopoldo Fróes, no Centro Cultural de Santo Amaro, nesta semana. Foi a vez de acompanhar “Outros Eus”, com o premiado ator e diretor Elias Andreato. Contudo, desta vez, os jovens atores não puderam se conter tão longe do palco.

Teve fileira do teatro cheias de jovens e selfie na plateia.

Teve fileira do teatro cheias de jovens e selfie na plateia.

Eles ocuparam o tablado de que tanto gostam para tirar uma foto com Andreato, cujo nome renomado dentro das artes cênicas é motivo de maior inspiração por parte dos estudantes. Inspiração essa que não é exclusividade dos alunos. O próprio ator Elias Andreato conta que se baseou na montagem Marinheiro, de Fernando Pessoa, para interpretar as angústias da criação artística.

O monólogo encheu a turma de Fernando Fersa de ideia, que certamente farão parte das próximas aulas, pois assim é o teatro, uma arte cíclica que se inspira para ganhar forma e segue inspirando para o ciclo das artes nunca parar.