Como dança e o projeto O Palco viraram assunto de educação em Barra Bonita

BarraBonita

As artes abriram caminho na vida de Maicon da Silva e Gabriel Aparecido, o resto eles correram atrás. É assim que esses dois jovens moradores de Barra Bonita, interior de São Paulo, definem a relação com a dança, modalidade artística que abriu caminhos para um novo olhar e oportunidades concretizadas com persistência.

Ambos foram oficineiros do projeto O Palco, na pequena cidade interiorana, com menos de 40 mil habitantes. Eles deram aulas de dança ao longo do ano letivo de 2017, período de atuação no município, e ampliaram também o conhecimento como professores, passando adiante o poder transformador das artes. Em comum também, a dupla preserva o importante impacto dos projetos sociais, onde conheceram a dança ainda crianças.

“Eu sempre gostei de dança e minha família nunca teve condição. Um tempo atrás tinha um projeto nas escolas municipais e através desse projeto de dança de rua, eu me interessei. A partir daí estou até hoje, correndo atrás, comecei a investir nisso”, conta Maicon, professor de danças urbanas no O Palco, que aos 24 anos relembra o início com apenas 7.

Gabriel, no canto inferior esquerdo, passou por diferentes gêneros da dança e se tornou oficineiro de break dance em Barra Bonita. | Foto: Arquivo Polo Cultural.

Gabriel, no canto inferior esquerdo, passou por diferentes gêneros da dança e se tornou oficineiro de break dance em Barra Bonita. | Foto: Arquivo Polo Cultural.

 

Gabriel começou cedo sua relação com a dança e foi no balé clássico que ganhou destaque. Ele iniciou ainda mais novo, com 5 anos, porém teve uma trajetória promissora barrada pela insegurança e o preconceito. “Ganhei uma vaga para Suíça, infelizmente não fui porque era muito novo, não sabia o que queria e tinham muitas pessoas com preconceito”, conta o jovem. Se a oportunidade com o balé não pode ser aproveitada por condições adversas, o novo encontro com a dança abriu as portas para o hip hop.

O novo estilo trouxe Gabriel de volta para o universo da dança aos nove anos e aos 24 vibrou com a oportunidade de dar aula em um projeto social: O Palco chegava em Barra Bonita. “Eu nunca achei que ia estar em um lugar dando aula. É diferente, com algumas dificuldades, mas eu me adaptei e me apeguei muito, não teve como. Hoje ainda mantenho contato com os alunos, sinto que ajudou muito”, observou o oficineiro de break dance.

O relato de Maicon destaca o impacto do projeto no município, como uma alternativa cultural saudável contra o ócio. “Esse projeto viralizou na cidade, foi comentado na cidade inteira! É importante porque aqui não tem o que fazer mesmo e eles estudam meio período, os adolescentes ainda não podem trabalhar. O Palco foi uma maneira de instruir, com muita melhoria nesse sentido, de abrir a cabeça, mesmo para quem não vai levar a dança para frente”, analisou Maicon da Silva.

Maicon movimentou os alunos de Barra Bonita com a cultura da dança. | Foto: Arquivo pessoal.

Maicon movimentou os alunos de Barra Bonita com a cultura da dança. | Foto: Arquivo pessoal.

O oficineiro continua a dar aulas de dança e depois da passagem do projeto conseguiu bolsas de estudos para alguns dos alunos que quiseram continuar a praticar. “A cidade é pequena, até hoje eu encontro alunos perguntando do projeto”, comentou.

O professor Gabriel Aparecido também enumera os resultados com os alunos, além da mudança em sua própria vida. “Eu creio que despertou muito as crianças, porque elas gostavam da dança e isso incentivava a estudar”, afirmou. “A dança sempre me ajudou muito, como uma forma de esquecer os problemas, hoje mudou minha vida. Quando estou dando aula, estou feliz. E acabo conhecendo mais a vida deles, eu também já fui criança e aprendo com esse convívio”, completou.

Gabriel começou na dança – o balé clássico – por recomendação médica. O garoto tinha problemas com o crescimento e o conselho médico foi para que procurasse um esporte. Encontrou as artes!

O resto ele correu atrás.

Alunos, professores e gestores do Polo Cultural reunidos no dia da apresentação de O Palco, em 2017. | Foto: Arquivo Polo Cultural.

Alunos, professores e gestores do Polo Cultural reunidos no dia da apresentação de O Palco, em 2017. | Foto: Arquivo Polo Cultural.

A realização do projeto O Palco em Barra Bonita só foi possível com o apoio da AES Tietê. Para você também colaborar com projetos como esse, entre no nosso canal de contribuição!