Bauru e Ibitinga são as novas cidades de O Palco em 2018

27.03 - Articulação Ibitinga 4

Depois de negociações no início desse ano, os municípios de Bauru e Ibitinga, ambos no interior de São Paulo vão fazer parte do projeto O Palco no ano letivo de 2018. Na última semana, o diretor executivo do Polo Cultural, Marcelo Sollero, se reuniu com lideranças locais para fechar os últimos detalhes.

“Eles iniciam o projeto em 2018!”, anuncia Sollero vibrante. O Polo + 20 também traz novidades de atuação nas duas cidades. Em Ibitinga, O Palco será instalado em uma área cultural e não dentro de uma das escolas, como de costume. O Espaço Crescer não era devidamente aproveitado do ponto de vista cultural e a chegada do projeto vai ajudar a reviver essa área, em conjunto com o trabalho da prefeitura que já reorganizou o espaço.

Secretário de Cultura, Marcos Rodakivisk, apresentou o espaço cultural que conta com espaço de leitura para as crianças e jovens. Lá, O Palco inicia seu trabalho em Ibitinga. | Foto: Polo Cultural.

Secretário de Cultura, Marcos Rodakivisk, apresentou o espaço cultural que conta com espaço de leitura para as crianças e jovens. Lá, O Palco inicia seu trabalho em Ibitinga. | Foto: Polo Cultural.

“Isso é muito legal, poder dar um novo destino a um lugar abandonado e restaurá-lo com cidadania. Vamos continuar atuando no contra turno escolar, a grande diferença é que vamos ocupar um lugar diferente da escolar e revitalizar esse espaço”, observou Sollero. “A cidade é muito bonita, eles têm uma Universidade Municipal, eu nunca tinha visto isso antes!”, acrescentou o diretor, surpreso e alegre com a novidade.

Em Bauru, O Palco segue a tradição de atuar dentro da escola. A instituição escolhida foi a EMEF Geraldo Arone, localizada em uma área de extrema pobreza e grande vulnerabilidade social de crianças e jovens. “Fazia tempo que a gente não se deparava com um desafio tão grande, de uma escola dentro de uma comunidade muito carente”, nota Marcelo Sollero.

A proximidade com questões sociais fortes e violência reforça a importância de um trabalho que envolva artes e cultura para a nova geração. “Acho que vai ter um ótimo resultado, porque a sala (destinada ao O Palco) está no coração da escola, logo na estrada, todas as crianças vão passar por lá”, comenta o diretor executivo.

Kelli Cristina, Diretora de Projeto e Pesquisa em Bauru, e Ana Beatriz Marcelino, coordenadora de Artes, depositaram a confiança no trabalho educacional do O Palco. | Foto: Polo Cultural

Kelli Cristina, Diretora de Projeto e Pesquisa em Bauru, e Ana Beatriz Marcelino, coordenadora de Artes, depositaram a confiança no trabalho educacional do O Palco. | Foto: Polo Cultural

O próximo passo de O Palco será viabilizar os locais de trabalho. As salas onde ocorrerão as aulas serão reformadas pelo projeto, de modo a comportar as aulas de dança, música e teatro. Em paralelo, os oficineiros responsáveis pelas aulas passarão por uma seleção e os finalistas serão contratados para atuar no projeto.

As aulas só serão iniciadas nessas cidades após entrega dos espaços, que deve acontecer no final do mês de abril.

Próximo passo será a reforma das salas que devem ser entregues até o final do mês de abril. | Foto: Polo Cultural

Próximo passo será a reforma das salas que devem ser entregues até o final do mês de abril. | Foto: Polo Cultural

A participação de Bauru e Ibitinga nas atividades de O Palco só foram possíveis com a confiança da AES, que apoia o Polo Cultural no interior de São Paulo.

Para entrar para a rede de colaboração do Polo Cultural e fomentar projetos como esse, entre no nosso canal de contribuição!