A importância das trocas leva Polo Cultural ao Instituto Ayrton Senna

ayrton senna

Uma das características mais evidentes no Polo Cultural é a busca por conhecimentos que se aliem às iniciativas da instituição. Com 20 anos de história, não podemos estagnar em tradições, e sim nos permitir para toda inovação que fortalece tudo aquilo que já foi trabalhado pela educação. Por isso, recentemente o Polo visitou o Instituto Ayrton Senna, um momento de trocas e novas aprendizados.

A visita foi parte do Festival Whow, cuja participação do Polo Cultural visava justamente essa troca de conhecimento. “É um festival de inovação, com pautas sobre criatividade. Para entender o que as empresas pensam sobre inovação e criatividade, porque tudo isso está diretamente ligado à arte”, explica Marcelo Sollero, diretor do Polo Cultural.

Conhecer o Instituto Ayrton Senna foi nota especial nesse mergulho pelas inovações, não somente pela abrangência dos projetos encabeçados por ele, mas também por uma história em comum. “Eu me interessei bastante, porque o Instituto Ayrton Senna também é da Zona Norte e trabalha pela educação em todo o país”, observou Sollero, lembrando das bases da fundação do Polo na região Norte de São Paulo.

Aprender e buscar inovação é um compromisso de uma entidade que se mantém ativa por duas décadas com ideologias fortes, porém dinâmicas e abertas ao que há de novo para o mundo.

“O terceiro setor precisa trocar mais informações principalmente sobre gestão. Existem estruturas que são incríveis como a do Ayrton Senna, isso para o Polo, que é uma organização pequena, é incrível”, pondera o gestor. “O que eles estão fazendo é garantir um legado do Ayrton e uma das coisas que o Polo quer é colocar arte e cultura na pauta da educação no Brasil, por isso precisamos conhecer uma estrutura capaz disso”, conclui.

 

O Polo Cultural agradece ao Instituto Ayrton Senna pela recepção!