Poesia contribui na formação social de jovens e crianças

A poesia ganhou destaque durante os quatro dias de “Arte é Inovação” nas unidades do CEU Jaguaré, Jaçanã e Cantos do Amanhecer. Ao falar sobre suas experiências e realidades, os poetas do Slam Baderna mostraram para jovens e crianças como é possível falar sobre sentimentos, preconceito e até sobre política a partir das rimas.

Mas você sabe o que significa Slam? E o que isso tem a ver com poesia? Slam é a batalha de poesia que surgiu nos Estados Unidos na década de 1980 como forma de resistência, ocupando novos espaços para discutir as questões sociais da época. Chegou no Brasil há pouco mais de dez anos e, de lá pra cá, vem conquistando muita gente por abordar questões do cotidiano como política, amor, racismo, machismo e homofobia.

Nos campeonatos de poesia os participantes têm até três minutos para apresentar seus poemas, todos de autoria própria e sem adereços ou acompanhamento musical. Esse texto pode ser escrito ou pode ser de improvisação. É através dessa poesia que a periferia tem mostrado para o mundo sua expressão e sua arte, promovendo uma troca intensa de culturas, raças, cores e diversidade.

Para Yasmin Gabrielle, uma das poetas que se apresentou no CEU Jaguaré, a poesia é como “uma válvula de escape, onde eu me entendo no mundo e como sou no mundo”. A partir do contato com a poesia e com o slam, jovens como Yasmin ganham autonomia para escrever suas próprias trajetórias.

“A poesia me deu acesso”, continua a jovem poeta. Acesso à informação, por exemplo, muitas vezes limitado dentro de casa ou das escolas. Intervenções como a do Slam Baderna, que promove o contato com a poesia dentro da sala de aula, coloca os alunos, desde cedo, para pensar em suas realidades, no que está acontecendo fora dos muros da escola, auxiliando na formação de um pensamento crítico e social.

Fotos: Nathalia Curti (@nanacurti)