A música transforma e o cotidiano vira arte

Durante a semana do dia 16 de outubro aconteceram as atividades do projeto “Arte é Inovação”. O evento foi marcado por apresentações de teatro, poesia, artes visuais, música e percussão. Uma dessas intervenções, que abrilhantou os olhos de crianças e adolescentes, foi a do grupo Quabales. Formado no bairro Nordeste de Amaralina, em Salvador, o Quabales investe na cultura local a partir da criação de “instrumentos musicais não convencionais” feitos de material reciclado. Misturando esses instrumentos com música, percussão, dança e eletrônica, o projeto se tornou algo inovador no cenário artístico nacional.
Ao entrarem no teatro, as crianças se depararam com latas de lixo, baldes, galões de água e pedaços de madeira. Marivaldo dos Santos – fundador do Quabales e um dos integrantes do musical STOMP, da Broadway – mostrou de forma lúdica e muito simples, como objetos do nosso cotidiano também fazem parte de um contexto musical. Além de assistir ao show do grupo, as crianças puderam participar da apresentação e tocar alguns desses instrumentos, produzindo novos sons.
Para Matheus Reggio, aluno do 7º L no CEU EMEF Jaguaré, ações como essa são fundamentais, “é um jeito de colocar a música nas escolas”, ressaltou o estudante. Matheus ainda teve a oportunidade de entrevistar Marivaldo dos Santos e os demais integrantes do Quabales, “eu acho que essa entrevista foi uma oportunidade nova para que eu possa continuar crescendo no jornalismo”.
Intervenções como essa, que colocam o público como parte do espetáculo, mostram como a música contribui no processo de formação de jovens e crianças. Marivaldo conta que, após ver sua cultura e trabalho sendo valorizados no exterior, começou a entender como a arte transforma. A partir daí as voltas para Salvador se tornaram mais constantes e então surgiu a ideia de fazer algo voltado para o Nordeste de Amaralina. Há quase 8 anos o Quabales tem mudado a vida de jovens e adultos em Salvador. Nos quatro dias de “Arte é Inovação” tivemos a prova de que suas ações também transformaram a vida de centenas de outras crianças em São Paulo.