Aos 25 anos, professora descobre metodologias e aprende junto no O Palco

Muitas vezes quando pensamos em um projeto social, nosso senso comum nos levar a imaginar o impacto causado para aqueles que são beneficiados com algum tipo de ação. De fato, os resultados do projeto O Palco, do Polo Cultural, são gigantescos considerando cada aluno envolvidos nas atividades. Porém, mais que isso, essa iniciativa se torna uma oportunidade de crescimento para jovens professores!

É o caso de Mary Ellen, a jovem professora de música em Ibitinga, que enumera uma série de aprendizados e novas vivências desde que assumiu o papel de oficineira de O Palco, aos 25 anos de idade.

“Eu senti que o projeto contribuiu muito para o desenvolvimento de uma didática. Por conta do número de alunos, é preciso agilizar os processos para se ter o resultado esperado”, começa Mary Ellen.

A educadora vê a ação com legados valiosos para seu crescimento profissional. “Eu busquei novas metodologias, precisei criar um recurso para que eles entendessem a sequência de notas e tudo isso acabei utilizando na sala de aula”, acrescenta, fazendo referências a outros trabalhos em que ministra aulas de música.

Outro ponto desafiador foi a participação ativa na montagem da apresentação final em O Palco. Faz parte do escopo da iniciativa do Polo Cultural também trazer o conhecimento de como uma produção artística pode ser viabilizada, dando autonomia e responsabilidade para que os professores também se empoderem dessa construção e vejam novas possibilidades de disseminar a arte.

“Foi necessário toda uma pesquisa sobre Romeu e Julieta, que também deu um novo conhecimento para mim, de entender como a música podia se encaixar na apresentação, além do fato de trabalhar muito a interdisciplinaridade em contato com os outros professores”, reforça Mary.

O projeto O Palco representou a primeira experiência profissional com um projeto social e abriu novas portas no caminho da professora. “A minha participação trouxe uma experiência muito boa, porque eu estava muito acostumada com outra realidade, de escola particular e ver a dedicação desses meninos em aprender, mudou tudo”, conta a professora, que agora vibra com a oportunidade de também fazer parte do Projeto Guri, iniciativa que ensina música e tem a capitalização do Governo do Estado de São Paulo.

O projeto O Palco, por sua vez, segue seu incansável busca por apoiadores que viabilizem a continuidade das ações por mais um ano. Para ajudar o Polo Cultural, entidade por trás dessa ação, confira como!